Manuscrito 12 – Finjo que não sei

“Finjo que não sei para colocar a mim e a você em um ponto de partida idêntico. Claro que esta postura não é muito agradável, em razão das lembranças que acarreta. Mas é boa tentativa pois não visa à constituição de uma obra filosófica, mas a nosso entendimento. Não ao acordo por ideologias comuns. Mas adequados na ideia expressiva.”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: