Categoria: Aulas Transcritas

Aula de 21/03/1989 – O novo objeto da metafísica

"Nós temos atrás de nós um infinito de tempo. Nós temos, para frente de nós, outro infinito de tempo. Nós somos um pequenino fôlego entre dois infinitos. Isso é a vida: a vida é isso. Mas é exatamente esse pequenino fôlego - entre dois infinitos - que é capaz de pensar. Pensar, inclusive, esses dois infinitos!”

Aula 6 – 31/01/1995 – Tornar visível o invisível

"A diferença do movimento intenso para o movimento extenso é que o movimento extenso é o movimento da matéria, é o movimento feito pelos corpos, que saem de um lugar para outro lugar. O movimento intenso é o movimento da alma. É o movimento da alma. Esse movimento intenso não se atualiza no corpo ― ele se expressa. - O que quer dizer expressão? Expressão quer dizer a existência de alguma coisa que está escondida, algo que está escondido e que, por algum sintoma, torna-se visível. Expressão é tornar visível o invisível."

Aula de 14/03/1989 – A ideia de matéria

"O nosso mundo tem como matéria esse meio espacial. Mas esse meio espacial – que é a matéria do nosso mundo – é obrigado a imitar as formas inteligíveis. Por isso, o nosso mundo é um Ícone. O nosso mundo é o lugar da Imitação. (Entenderam?) Não é o meio espacial que é imitação. É o nosso mundo que é imitação. (...) O primeiro momento é o Momento Perfeito da criação. Daquele primeiro momento em diante – que é o momento do tempo, da história – o que aconteceu foi de-gra-da-ção! E o Platão está vivendo na sociedade grega do século IV a.C.. E, nesse século IV, ele convive – com a degradação do campo social e com a incoerência dos fenômenos cósmicos."

Aula de 10/09/1995 – Uma aula trágica

"Esta é uma aula trágica. Trágico não quer dizer sofrimento – não é nada disso; mas uma aula fundada num homem que esteve neste planeta durante quarenta e cinco anos. Nesses quarenta e cinco anos de vida, ele se preocupou em compreender e em observar se há ou havia saída para o sofrimento da alma humana. Esse homem chama-se Espinosa. (...) Na hora em você faz uma denúncia desse tipo que Espinosa está fazendo, o que aconteceu com Espinosa?! Deram uma facada nele; ele teve que fugir de Amsterdã; ele teve que não publicar os livros dele em vida! Que indignidade! Um gênio como Espinosa teve que esconder as obras dele…"

Aula 9 – 03/02/1995 – Personagem conceitual e personagem estético

O sujeito artista não tem a função de produzir nenhuma obra - a função do sujeito artista é quebrar o domínio que há sobre nós do sujeito pessoal. A arte... a arte é, antes de tudo, uma aventura existencial.

Aula 5 – 27/01/1995 – A desumanização é a busca infinita do pensamento

Temas abordados nesta aula são aprofundados nos capítulos 1 (Implicar – Explicar); 4 (Diferença, Alteridade, Mutiplicidade); 5 (A Fuga do Aristotelismo); 12 (De Sade a Nietzsche) e 13 (Arte e Forças) do livro "Gilles Deleuze: A Grande Aventura do Pensamento", de Claudio Ulpiano. Para pedir o livro, escreva para: webulpiano@gmail.com]   Parte I [...] E é simultaneamente o momento que eu ...