A

Aula de 20/04/1995 – Mundo das sensações: tudo se movimenta, nada se formaliza

O pensamento... quando eu falo pensamento, eu estou me referindo a uma faculdade do sujeito humano; ou seja, o homem contém nele uma série de faculdades – faculdade quer dizer força.  Força voltada para fora. Então o pensamento, a percepção, a memória, a imaginação – isso é que são as nossas faculdades – a linguagem... nada nos ...

A

Aula de 05/09/1995 – O Verdadeiro e o Falso

A força do tempo é a força que dobra as montanhas, que torna as pétalas aromáticas, que faz com que as árvores criem linhas cubistas... Ou seja - a força do tempo inclui, em todos os seres, a diferença. No tempo, nada é igual a si próprio, tudo é diferente de si mesmo. Porque... se eu agora disser para vocês: - boa noite! - e em seguida eu disser: - boa noite! - o segundo "boa noite" não é igual ao primeiro - porque o segundo inclui o primeiro. Nós, os homens, como todos os seres que vivem no tempo, estamos fadados a conviver com a diferença pura. Sempre! A diferença é o elemento constituinte do tempo!

A

Aula de 21/09/1995 – O voluntário e o involuntário ou o lógico, o ilógico e o alógico

(Início: Referência à "Cortina Escarlate", texto de Barbey d'Aurevilly, na aula anterior). Se eu por acaso fizer umas certas referências a... a não sei o quê... é porque não tenho exatamente o ponto em que eu deixei a última aula - não tenho! Não tenho a memória do ponto da última aula. Não é o ...

A

Aula de 09/02/1995 – O personagem artístico

Eu acabei de dar um curso de dez aulas - terminou na segunda-feira passada. Eu encerrei o curso lendo um texto - e o texto é uma espécie de conclusão do curso que eu dei. Eu vou retomar o texto, agora, como início deste curso - e eu acredito que vocês vão compreender perfeitamente o ...

Navegue pelo conteúdo