Manuscrito 2 – Um conceito, vários nomes

“Um ponto comum, para qualquer estudante de filosofia, é não buscar o sentido dos conceitos de uma obra filosófica nas definições descontextualizadas de um dicionário. Em Deleuze, esta postura atinge o paroxismo – pois nele um conceito pode ter vários sentidos; ou de outro modo, ter vários nomes.”

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s